Saudade.

  • quarta-feira, 31 de março de 2010
  • Posted by Herminio Neves de Jesus

Certa noite, ao recolher me desportou em mim uma melancolia, uma saudade. Olhei pro lado não vi quem deveria estar ali, remexi em meus rascunhos de pensamentos, e descobri que ela estava trabalhando. Por um instante percebi a falta que ela faz. Não tinha calor, nem a presença do seu olhar, suas mãos afagando meu rosto, derrepente, uma lágrima, senti saudades do meu amor. Olhei em volta, ausência de seu toque, feminino, suave. Senti saudades, chorei.

Por um momento, me senti na maior solidão, me senti abandonado pela mais bela representação da vida, que é o companheirismo, o sorriso, o olhar, a cumplicidade. Por um momento eu chorei, baixinho pra ninguém perceber o quanto eu a amo. Lembrei de quando a vi pela primeira vêz, o nosso olhar se encontrando, um sorriso e ... pronto estava eu encantado com a beleza de um encontro por acaso.

Já se passaram tantos anos, e mesmo assim a sua ausência me faz sentir saudades da sua presença. Hoje quando chego você não está, e quando saio, você está dormindo. Nossos frutos já crescidos não percebem, estão ocupados... atrevo me a testar meu sentimento, mas ele é forte me dá vontade de te ver.

Eu tenho medo, que no final do dia eu me perca em meios à problemas que me afastam de você, eu tenho medo de que no final do dia eu me acostume com sua ausência, ou que você, não precise mais de mim. Preciso saber, até onde eu posso suportar, até onde você pode esperar.

Certos dias não poderiam simplesmente nos juntar?



A quem pertence o primeiro passo?

ou de quem será o primeiro passo?



Um abraço,



Herminio Neves.

0 comentários: