• sábado, 26 de julho de 2014
  • Posted by Herminio Neves de Jesus

                                                                 

                                           Silêncio. 



No silêncio da vida, encontro me triste e só. Mas sinto que ainda consigo caminhar com minhas pernas. No silêncio do dia sinto em minhas costas o calor do sol, dando me energia pra seguir em frente, sinto vontade de percorrer mais um pouco do muito que Deus deixou pra eu caminhar. No meu silêncio encontro me resguardado da Fé, e o calor do sol renova em mim o desejo de continuar. No silêncio deste dia minha tristeza transforma se em força pra sorrir e até mesmo pra chorar, não de sofrimento, mas de estar seguindo em frente com força e fé. No meu silêncio encontro a paz, encontro a mim mesmo. É no meu silêncio que falo com sinceridade com meu DEUS. Um ótimo final de semana pra todos, e não se esqueçam nunca de conversar com Deus.

Renúncia

  • segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014
  • Posted by Herminio Neves de Jesus

Hoje meus pensamentos quase me traíram, por um instante te encontrei num olhar Meu corpo se acendeu queria te abraçar, mas não pode. Por um momento julguei possível tocar você, mas não posso. Meus pensamentos de novo te buscam, mas o meu eu, mandou ignora-lo. Como é forte um sentimento. Como é difícil, não te querer, tocar você. Não posso. Vou fugir pra longe, talvez eu consiga arrancar de dentro de mim esse sentimento, Olhar em teus olhos é ver um novo mundo à minha volta, Sentir seu cheiro, é um delírio pra meu corpo. Minha fantasia se desespera com minha renúncia. Meu corpo se retrai. Ele quer você. Não posso. Nas madrugadas frias e silenciosas meus pensamentos tentam entender esta renuncia, como deixar pra trás esse, esse fogo que queima meu peito, palpita meu ser. Adormecer é um castigo, acordar é sentir tudo de novo. E o sol me toca, me queima, e a brisa me desperta pro novo dia. Não posso... Herminio Neves.

  • terça-feira, 24 de dezembro de 2013
  • Posted by Herminio Neves de Jesus

Então é Natal, todos às compras, chocolates, presentes, sorrisos... e, nada disso representa de fato o Natal. Fazem parte desta festa, sim o Natal é comemorado como uma grande festa e nós sabemos que realmente deve ser assim, mas devemos nos lembrar primeiro o verdadeiro significado do NATAL. A celebração é pra nos lembrar do nascimento de nosso PAI MAIOR, JESUS CRISTO. E assim vamos procurar um sentido em tudo isso. Ele é DEUS, ele criou tudo, o Homem, a Terra, o Ar, Água e tudo o mais que existe na natureza, seja ela em nosso planeta ou em qualquer parte desse imenso espaço o qual olhamos e pouco entendemos. No entanto ele se fez pequeno, humilde nasceu de uma mulher, chamou nos de irmãos de filhos. Quando ele se manifestou entre nós, chamou a atenção dos poderosos, porque pregava a humildade, a unidade o amor entre todos sem cor de pele, sem posição social, ele queria sempre que nós nos amássemos como nós somos, sem grandezas, sem orgulho. Mas nós conseguimos sempre, maltratar nossos irmãos. Procuramos bens materiais para compor a nossa volta, e esquecemos de viver como irmãos, em comum união. Preferimos buscar distantes sentimentos que estão bem à nossa volta. Solidariedade, é algo que guardamos nas gavetas, pra que não a vejamos muito. Doar, entregar, amar, sem nada pedir em troca. O amor deve ser GRATUITO e todos os dias e horas da nossa vida. Vamos procurar, em nossos corações o mais puro sentimento, pra doarmos e vivermos verdadeiramente um amor, Gratuito e sincero. Pra quem já conhece e pra quem não conhece, procure ler a Oração de São Francisco. Ela nos mostra o verdadeiro espírito, NATALINO. Um Natal de muitas reflexões e que aja pás em seus corações. Um 2014 cheio de luz, saúde amor e sabedoria. Uma grande abraços à todos os meus amigos, muita pás, Herminio Neves de Jesus.

  • sexta-feira, 2 de novembro de 2012
  • Posted by Herminio Neves de Jesus


Quando o tempo, inicia sua jornada, sentimentos afloram em nossos olhos colorindo nossos semblantes com luzes reluzentes. A chuva caindo no chão molhando a terra onde pisamos, não sentimos, mas ela respira e vive sob nós. Os sentimentos que nos pertubam nos fazem crer na vida, nos olhos dos outros encontramos paz, encontramos também a guerra. No fio da espada, passamos a limpo nossos mais mórbidos sentimentos, nossas fraquezas. Na fornalha encandescente jogamos nossos desejos insanos, e com eles esperanças perdidas. Nosso peito entregue a um coração que bate muito pra manter nossa ar, também bate para em alguns momentos nos tirar esse ar. No fim do dia, olhamos a nossa volta, e por muitas veses não sentimos o quanto foi grande nossa oportunidade de ser o que somos, não somente o que queremos ser. Não é suficiente mostrar o que somos, temos que mostrar o que queremos ser, sentimentos que vasam nossas rasões, e não refletem de fato o que queremos. Meu sentimento é inoportuno se eu permitir...

Sentimentos

  • sexta-feira, 27 de abril de 2012
  • Posted by Herminio Neves de Jesus

Externar o sentimento, como forma de viver. Encontrar na escuridão uma luz pra se guiar. Assim nos perguntamos no dia-a-dia, como podemos descobrir uma forma de viver-mos melhor. O sentimento que buscamos, por veses não gostamos de oferecer, a luz que nos guia também pode nos cegar. O caminho que buscamos quase sempre é incerto, oras sobe oras desce, e na curva se esconde. Um olhar no horizonte, muito longe, não da pra por a mão, nem alcançar com poucos passos, nos perdemos diante de nós mesmos, e ficamos vulneráveis ao barulho de um tiro. Muitas armas, muitos homens pra usá-las, poucos para evitá-las. Grandes obras, edificios, pontes, monumentos à inteligência humana, poucos são aqueles que os vêem. As palavras ditas por muitos, se perdem no vento da ignorância, enquanto a minoria gritante, são ouvidas entre quatro paredes. Externar o sentimento, encontrar a luz, sem os olhos cegar.

Moleque do Morro

  • domingo, 22 de abril de 2012
  • Posted by Herminio Neves de Jesus


Moleque do morro nasceu e cresceu vida dificil sem muita opção moleque do morro, lá em cima aprendeu que a força maior vem do roração. Moleque do morro, que trazes no corpo a marca da vida, trabalho dobrado não tem muita escolha, seu tempo é um sopro mas tem dignidade, nos olhos mostrado. Homem do morro, na vida forjado trabalha e não cansa tem sua cultura batendo o tambor, e dançando congado, arranca do peito coragem e bravura. Homem do morro, não teme a luta traçado o destino, procura o espaço nas suas origens preserva a conduta de quem fez e faz, com a força do braço. Herminio Neves.

PORTEIRA VELHA

  • sábado, 10 de dezembro de 2011
  • Posted by Herminio Neves de Jesus

Adormeço corpo cansado não sonho,
estou parado.
O corpo não é o mesmo
meu tempo está passando
nas curvas do caminho meus olhos estão fechando.
Reflexos de um sol ardente.
Canso-me cedo.
Não chego ao meu destino.
Falta-me um objetivo
procuro e não percebo.
Parece que estou dormindo
meus olhos estão abertos
meus pés já calejados, calçados não mais suporta.
Porteiras estão fechadas
não rangem quando se abrem
trocaram porteira velha
jogaram fora à fogueira
meu tempo está passando.
Minha fogueira está se apagando,
meu calor está sumindo
faz falta um alguém.
Estarei muito em breve
junto à porteira velha.